OSTEOFITOSE


Instituto Pro Therapie | Osteofitose
Instituto Pro Therapie | Osteofitose

A Osteofitose é a moléstia na qual surgem osteófitos, popularmente conhecidos como bico de papagaio, que consistem em pequenas expansões ósseas em forma de gancho que surge ao redor do disco da coluna vertebral, geralmente em casos de problemas reumáticos, como, por exemplo, a osteoartrose lombar e cervical. Radiograficamente, o aspecto do osteófito remete ao bico de um papagaio, vindo daí o nome popular.

Alguns especialistas acreditam que o bico-de-papagaio possa surgir devido à desidratação do disco intervertebral, por espondilose, por pré-disposição genética, sobrecarga articular (como no caso de obesidade), devido a algum problema articular prévio (como inflamação, fratura, ruptura de ligamentos, entre outros) ou em consequência de impactos sofridos desde a infância.

Todavia, é importante salientar que a principal causa do aparecimento desta anomalia óssea é a permanência em posturas incorretas ao longo da vida, resultando em lesões nas articulações vertebrais. Destas últimas, originam-se os osteófitos, que por sua vez, causam a desidratação do disco intervertebral, fazendo com que as vértebras fiquem mais próximas uma da outra, com consequente compressão da raiz nervosa. Portanto, a dor presente na osteofitose decorre dessa compressão.

Ao passo que o indivíduo envelhece, as dores causadas pelo bico-de-papagaio começam a surgir; contudo, alguns sinais percebidos anteriormente podem indicar a presença dessa expansão óssea. Pessoas que durante a vida não adotaram boa postura corporal, não praticou atividades físicas e vivenciou períodos intensos de estresse apresentam maiores chances de desenvolver osteófitos.

O tratamento pode ser conservador ou cirúrgico. No primeiro caso, a adoção de novos hábitos, como boa postura, juntamente com prática de atividade física pode auxiliar no alívio das dores. O uso de alguns fármacos, fisioterapia e acupuntura também são medidas benéficas.

Com relação ao tratamento cirúrgico, este é recomendado quando o paciente apresenta dano neurológico súbito e quando a coluna evidenciar sinais de desalinhamento progressivo com dor intensa, bem como alteração de força e sensibilidade nos membros superiores. A realização deste tipo de cirurgia habitualmente requer o uso de enxertos ósseos e implantes.

91 visualizações

Posts recentes

Ver tudo